Notícias

28 de Agosto de 2015

TRITON YACHTS no 8º Festival Náutico Tedesco

A Triton Yachts estará presente no 8º Festival Náutico Tedesco-Balneário Camboriu/SC (04 a 08/09)  com alguns modelos da linha (T 240CAB, T 300, T330 e T 500HT), sendo que o último lançamento da marca, ...

leia mais

12 de Junho de 2015

TRITON 330 é destaque na revista NAUTICA

Por conta do sucesso da marca TRITON e principalmente do modelo TRITON 330, a revista NAUTICA fez uma matéria especial na edicao de junho/2015 (nº 322) analisando o barco por completo. Vale a pena confer ...

leia mais

17 de Junho de 2015

CAMPANHA IMPERDÍVEL

...

leia mais

10 de Julho de 2015

INAUGURACAO da nova loja BOATSP

A empresa BOATSP abre sua sexta loja no Brasil, agora em Curitiba/PR e no dia de ontem(09/07/2015) fez uma inauguracao oficial para seus clientes, parceiros, pessoas do mercado náutico e sociedade Curitibana ...

leia mais

21 de Maio de 2015

BOAS NOTÍCIAS...nova TRITON 500HT

UMA BOA SURPRESA! TRITON 470 HT É AGORA 500 HT No estudo de nosso departamento de engenharia quanto ao lançamento do barco 470 FLY, identificou-se a necessidade do aumento do comprimento do casco para ter ...

leia mais

Depoimentos

José Carlos Bezerra de Vasconcelos

TRITON I275

No dia 23 de dezembro de 2011 recebi minha embarcação, uma Triton i275. Minha embarcação foi montada com todo o critério, atendendo todas as minhas expectativas e até mesmo a superando. A montagem foi precisa, desde a fiação, instalação dos equipamentos de bordo, radio vhf, gps, sonar, aparelho de som, autofalantes, capota, flaps, tomadas de 12 volts, geladeira Benfatto, instalação de duas bombas de porão, 3 baterias de 150 ah, todos os detalhes foram acompanhados com toda a perfeição. Uma montagem que posso considerar perfeita… Quando fui batizar minha embarcação, justamente no dia 24 de dezembro de 2011, o mar estava um pouquinho batido, com um vento leste, que deixava a baia um pouco agitada. Eram as condições ideais para testar a embarcação. Coloquei a embarcação na água, e saí para o teste. Apos o motor ter atingido a temperatura ideal, comecei a acelerar a lancha e fiquei bastante satisfeito com o resultado, mesmo sem utilizar os flaps, ela planava rapidamente. Comecei a testar os flaps e o resultado foi melhor ainda, a lancha planava fácil e navegava macia, vencendo os carneirinhos das ondas com muito conforto. Comecei a manobrar a lancha, forçando para ambos os bordos e novamente fiquei feliz com o resultado. Após esta primeira impressão, comecei a utilizar a lancha. Meu primeiro cruzeiro ocorreu poucos dias depois, saí da Penha-SC e naveguei até Florianópolis, em torno de 120 kms de navegação, que culminou em um pernoite na Caiacanga, no sul da Ilha. Postei este relato dia 17 de janeiro de 2012 no Fórum da Anaer:


Fiz o primeiro cruzeiro com a embarcação. Foi uma viagem desde Penha-SC até Florianópolis-SC. No percurso de ida percorri 147 km / 79 mn, na volta foram 162 km / 87 mn. No percurso de ida, as condições de navegação estavam difíceis, pois estava chovendo muito e a visibilidade estava péssima, tive que fazer todo o percurso baseado apenas nas informações de gps. No percurso de volta as condições melhoraram muito e a visibilidade estava ótima. Peguei muita força de maré e o consumo aumentou um pouco. A embarcação suportou bem as condições adversas, o excesso de chuva e a pouca visibilidade no percurso inicial. Minhas duas baterias de serviço aguentaram bem o pernoite e na manhã funcionei o motor sem utilizar a bateria reservada. A popa acomodou perfeitamente o bote de apoio de 2,20 mts com fundo rígido, transformando nossos desembarques seguros e ágeis. O banheiro se mostrou adequado e completo, passando em todos os testes. A existência de pia, armário e ducha higiênica no banheiro fornece um conforto a parte. A cabine é perfeitamente vedada e com toda chuva que enfrentei no percurso inicial, se tivesse algum problema teria aparecido. Pernoitamos em três adultos e as camas são confortáveis. Os dois ventiladores instalados na cabine nem precisaram ser utilizados. A navegação foi confortável, mantive a velocidade de cruzeiro entre 20 e 25 mn, apresentando um consumo entre 35 e 40 litros horas. Quase não utilizei os flaps na viagem, mas em algumas situações de mar mais forte, foram uteis. Talvez tenha esquecido de comentar algum aspecto, mas o barco me deixou plenamente satisfeito, superando até as minhas expectativas.


Hoje a lancha está com 50 horas e minha satisfação com o seu desempenho é enorme. Estou pensando em troca-la por uma Triton 295, agora optando por um motor diesel. Espero ter contribuído com meu relato, pois retrata fielmente as impressões que tive da embarcação.

+

Texto extraído da matéria veiculada na revista NAUTICA (ed. 296)

TRITON 260

Na hora de comprar uma lancha maior, o leitor Marcelo Curtarello optou por uma TRITON 260. E garante que não se arrependeu.

Minha historia com essa lancha é a mesma da maioria dos lancheiros por aí. A família cresceu, o gosto por navegar também e o tamanho do barco foi aumentando. No meu caso, troquei uma 20 pés cabinada, também da Triton, por esta 26. De cara gostei muito do desenho do casco. Mas o que me fez fechar negócio foi mesmo o fato de ela estar equipada com um bom motor de popa. Depois, mandei forrar o cockpit com teca sintética, instalei um gps e deixei a lancha do jeito que eu queria.


Na minha opinião, além de bonita a Triton 260 navega muito bem. E como tem cabine e costado altos, pode ser usada também no mar e nem precisa ser em uma região muito abrigada. Além disso, o motor de popa permite parar bem pertinho da praia, o que sempre faço e a criançada adora. Também gostamos de ficar tomando sol na proa, que é muito espaçosa e gostosa.


Tenho quatro filhos, portanto, preciso também de espaço no cockpit. E nisso esta lancha dá um show. Ela tem um bom sofá em U, um divã e o banco do piloto é duplo, ou seja, você pilota com alguém do seu lado, o que é muito gostoso. Além do espaçoso cockpit a cabine também tem um bom espaço para esse tamanho de barco, pois além da cama de proa, tem a cama de meia-nau, acomodando tranquilamente 4 pessoas para pernoite.


Tem boa autonomia, navegando a 20 nós de velocidade, consigo oito horas de navegação.


Estou bem satisfeito com o barco e por enquanto não penso em troca-lo a não ser que a familia aumente mais ainda…

+

RICARDO ROSSIT

TRITON 295

Porque a Triton 295 por Ricardo Rossit

Sou engenheiro eletrônico acostumado a lidar com detalhes e especificações de tudo que utilizo. Com a Triton 295 não foi diferente, e a minha decisão de compra foi complexa e demorada pois analisei detalhadamente todas as opções do mercado, vejam abaixo os motivos que me levaram a compra:


Sonho de Consumo:

A muito tempo sonhava em ter um barco com condições de dormir abordo com a minha família, e analisando as opções de mercado conclui que a Triton 295 oferece tudo que eu procurava, com destaque para o banco de popa, que serve para pescar, bronzear e até para relaxar sem se distrair das crianças que adoram pular na água e nadar em volta da plataforma de popa. A praça central do barco acomoda bem todos na hora do lanchinho e dos drinks; já a cabine acomoda bem um casal com filhos, e já curtimos noites com filmes abordo.


Instalações da Fábrica:

Com meus 50 anos já vi muitas histórias com estaleiros, então visitei a fábrica da Way Brasil e gostei bastante do que vi, principalmente da seriedade dos proprietários e dos funcionários que comandam as instalações. Um barco é coisa séria, você pode colocar em risco as pessoas que convide se o produto não for bem projetado e construído.


Projeto do Casco:

Antes de comprar a minha fiz dois “test drives” no modelo antecessor a 280, um deles por sinal muito conveniente com o mar ruim, o que é excelente para avaliar os rangidos do casco. E agora com a minha 295 comprovo que o barco está melhor ainda e se sai muito bem ao cortar ondas e marolas transmitindo muita segurança. No entanto para mim outro fator é mais importante ainda, a baixa velocidade de planeio acima de 15 mph, o que deixa minha família muito tranquila quando o mar vira e fica agitado, posso retornar em completa segurança, sem ficar forçando o motor para acelerar e depois reduzindo que a velocidade está alta demais.


Desempenho do Conjunto:

Meu propósito com a 295 é ter um barco que permita passeios com a família e amigos, e sabia que não iria utilizar por mais de 100 horas / ano, então optei pela motorização a gasolina e escolhi o Mercruiser 5.7 de 300HP, que completa muito bem o projeto. Navego com ótimo desempenho e consigo velocidade de cruzeiro de 22 a 27 mph com consumo na faixa de 40 litros / hora.


Concorrência:

Existem muitas opções de barcos neste porte, com pequenas variações de acabamento e dimensões, mas optei pela Triton pois analisando os custos benefícios foi a melhor opção para mim.

A  295 oferece uma excelente combinação de recursos, dimensões e acessórios sem tornar o casco demasiadamente pesado o que exigiria um motor mais potente, pode parecer um contra senso se preocupar com o consumo de combustível para quem pode investir em um barco deste porte, mas vejo que incomoda muita gente que não se preocupou com isto antes de comprar.



Finalmente me coloco a disposição para quem quiser falar sobre o barco.

+

RODRIGO SANTANA (RODRIGÃO) – SELEÇÃO BRASILEIRA DE VOLEIBOL

Triton i275

Escolhi a Triton i275 por ser o melhor barco que encontrei nesse tamanho, levando em conta a possibilidade de pernoite para 4 pessoas, e pelo seu design e espaço interno muito bons, além de detalhes únicos para um barco de 27 pés com uma grande plataforma de popa e o solário na popa encontrado unicamente neste barco. Como minha família é grande, foi o barco ideal, além de navegar muito bem.

+

Dicas Náuticas

GASTRONOMIA

saiba mais +

METEOROLOGIA

saiba mais +

TERMOS NÁUTICOS

saiba mais +

HABILITAÇÃO

saiba mais +

Patrocinadores